Fundação da Cidade de São Paulo

Andrea de Carvalho,
Andréia Nogueira,
Edna Moreira,
Marcely Albuquerque,
Maria Aparecida,
Maria Lúcia e
Shenia Moreira.

São Paulo

1ª casa da aldeia de São Paulo em 1540

A história da cidade de São Paulo ocorre paralelamente à história do Brasil, ao longo de aproximadamente 455 anos de sua existência, contra os mais de quinhentos anos do país.
Era uma cidade de difícil acesso, pois arriscava-se a vida para escalar a Serra do Mar, quase uma muralha. Os primeiros jesuítas fixaram-se num platô onde já viviam os caciques Tibiriçá e sua gente, onde é hoje o convento de São Bento. Terra fértil, de grande campo e muitos pinheiros os inimigos não podiam chegar sem serem vistos. A cidade nasceu em 1554, com a formação do Colégio de São Paulo de Piratininga.

 

Problematizando

1) Faça um desenho de como você imagina que era São Paulo em 1540.

2) Qual a diferença da cidade de São Paulo de hoje e a 1540 ?

PÁTIO DO COLÉGIO

Ao redor do colégio formou-se uma pequena povoação de índios convertidos, jesuítas e colonizadores. Na verdade os portugueses estavam interessados em levar a colonização também para o planalto, porém sem prejudicar o processo que vinha se desenvolvendo no litoral, logo as autoridades portuguesas criaram em 1553 a vila de Santo André da Borda do Campo.

 

O encontro dos rios Anhangabaú e Tamanduateí

Em 1560, a população do povoado seria expressivamente ampliada, quando, por ordem de Mem de Sá, governador-geral da colônia, os habitantes da vila de Santo André da Borda do Campo são transferidos para os arredores do colégio. A vila de Santo André é extinta, e o povoado é elevado a esta categoria, com o nome de “Vila de São Paulo de Piratininga”. Por ato régio é criada, no mesmo, ano, sua Câmara Municipal, então chamada “Casa do Conselho”. É provavelmente nesse mesmo ano de 1560 que é criada a “Confraria da Misericórdia de São Paulo” (atual Santa Casa de Misericórdia).

 

Problematizando

1) Por que os padres escolheram este local para fundar o Colégio?

2) Em sua opinião, por que Santo André da Borba do Campo passou a se chamar São Paulo de Piratininga?

3) Analisando o texto você prefere morar em São Paulo de Piratininga ou São Paulo de agora, por quê?

4) Na obra acima, o pintor Oscar Pereira da Silva reproduz o que ele imaginou ter sido a cena da Fundação da Cidade de São Paulo, em torno da celebração da missa pelos padres Jesuítas.

a)   Observe a imagem e descreva-a.

b)    Depois escreva um pequeno texto contando como você imagina que foi esse momento.

Em 25 de Janeiro de 1554, um grupo de religiosos jesuítas, chefiado pelo padre Manoel da Nóbrega e do qual fazia parte José de Anchieta.

Anchieta fundou o Colégio de São Paulo de Piratininga em um ponto mais avançado do planalto, sobre uma colina situada no encontro dos rios Anhangabaú e Tamanduateí.

A fundação de São Paulo está ligada da ao processo de ocupação e exploração das terras americanas pelos portugueses, a partir do século XVI. Inicialmente, os colonizadores fundaram a Vila de Santo André da Borda do Campo (1553), constantemente ameaçada pelos povos indígenas da região.

Segundo os relatos dos padres, o lugar foi escolhido por seu clima agradável, sua vegetação do campo e suas águas limpas e abundantes. E o principal: pela presença, na região, de uma numerosa população indígena que já convivia com os portugueses,  pronta para ser catequizada, batizada e transformada em um rebanho de fieis servidores da igreja católica.

 

Problematizando

5) Por que a fundação foi feita entre os encontros dos rios Anhangabaú e Tamanduateí ?

Antes

Depois

6) Observando as duas imagens do Patio do Colégio, procure explicar quais as mudanças e permanências.

O abandono da antiga Vila Santo André aconteceu por causa da  condição de pobreza e da situação de medo em que viviam seus habitantes diante das constantes  ameaças de ataques dos Carijós e de outras tribos indígenas inimigas.

Isso levou o primeiro povoado paulista do planalto a sair da borda do campo e ir reunir-se ao que estava dentro dos campos de Piratininga para o interior de São Paulo se afirmando como posto de colonização portuguesa em terras Paulistas.

A situação não estava nada boa na Vila de São Paulo, no entanto a pequena vila formada em torno do colégio dos padres ia crescendo cada vez mais assim como outros aldeamentos indígenas eram criados pelos jesuítas nas vizinhanças. Aldeamentos que viriam a ser a origem e dar o nome de atuais bairros paulistanos, como São Miguel Paulista, Pinheiros, Penha e Santo Amaro, e de cidades da Região Metropolitana de São Paulo, como Guarulhos, Barueri e Carapicuíba.

Vila de São Paulo em torno do Patio do Colégio

Problematizando

7) De onde surgiram os nomes destas cidades? Quem será que escolheu? Responda com suas palavras.

Mapa da Vila de São Paulo

8 ) Observe o mapa. Onde estão localizadas as aldeias e as igrejas?

O último dos Tamoios, obra de Rodolfo Amoedo em 1883

Vocês poderiam  dizer que o nome do estado de São Paulo vem do nome da cidade de São Paulo, ela é a primeira vila colonial brasileira, que se tornou a capital do estado maior cidade do país. Então, São Paulo é um estado brasileiro cujo nome nasceu nos primeiros tempos das capitanias hereditárias. Naquela época um dos confrontos mais intensos que os portugueses enfrentaram na região do atual estado de São Paulo foi com os índios Tamoios, do grupo Tupinambá. Aqueles indígenas dominavam o litoral norte paulista e o litoral sul fluminense. Aliados dos franceses tornaram-se grande ameaça aos povoados e vilas organizados pelas colonizações portuguesas. Em determinado momento da guerra, os jesuítas Manuel da Nóbrega e José de Anchieta foram para região de Ubatuba. Ali conseguiram, em 1563, estabelecer um acordo de paz. Sobre esse acordo, escreveu Anchieta:

Visitamos suas aldeias e eu dizendo-lhes que se alegrassem com nossa vinda e nossa amizade, que gostávamos de estar com eles para ensinar-lhes as coisas de Deus, que lhes daria saúde, alimento em abundância e a vitória sobre seus inimigos. Mas a razão principal que os levou a  aceitar a paz não foi o medo dos cristãos nem a necessidade de suas coisas, que os franceses também lhes dão, como roupas, ferramentas e arcabuzes, e sim a possibilidade de agora guerrear com seus inimigos, os Tupi, que tem sido nossos aliados e dos quais, de uns tempos para cá, alguns também andam se levantando contra nós.

 

Problematizando

9) De que maneira os jesuítas convenceram os Tamoio a assinar o acordo de paz e passar para o lado dos portugueses?

10) Registre um trecho da carta de Anchieta que justifique sua respostas à questão anterior.

Por volta de 1600, a população da Vila de São Paulo era formada pelos colonos e suas famílias e principalmente por índios e mamelucos, os mestiços de índios e brancos.

A presença dos indígenas na vila de São Paulo foi muito importante, desde o começo. Os indígenas:

  • Faziam o trabalho pesado nas roças e os serviços domésticos;
  • Transportavam as cargas entre o planalto e litoral, descendo e subindo as encostas das serras do Mar;
  • Guiavam as expedições ao sertão;
  • Conheciam os caminhos por entre as matas e sabiam construir canoas de tronco inteiriço para navegar pelos rios;
  • Desciam os frutos das matas para alimentar-se durante as longas permanências nos sertões e as plantas que serviam de medicamento, para curar febres, ferimentos, etc.

Assim, quando, tempos coloniais se dizia que os colonos paulistas sobreviveram com o remédio dos sertões, não era só maneira de falar, era a realidade:

O principal remédio que as bandeiras iam buscar no sertão eram os próprios indígenas, capturados a força pelos bandeirantes.

 

Problematizando

11) Na sua opinião porque os Bandeirantes capturavam os índios para forçá-los a trabalhar?

 

Proprietários e índios cativos em São Paulo
e Santana de Parnaíba, 1630-1699

Numero de Numero de
Proprietários Índios cativados
1630-1639 99 2804
1640-1649 111 4060
1650-1659 142 5375
1660-1669 148 3752
1670-1679 138 3686
1680-1689 159 3623
1690-1699 71 1058

12) Observe o quadro e responda:

a) Em que período as vila de São Paulo e Santana de Parnaíba apresentaram maior número de índios na sua população?

b) Em que período as duas vilas apresentaram o  maior número de proprietário de índios cativos?

Os índios capturados pelos bandeirantes

A escravização indígena era uma atividade que gerava lucros internos, ou seja, a metrópole portuguesa não se beneficiava com ela. Portanto, a preferência pelo trabalho escravo negro e não pelo índio se deve ao fato de que o comércio internacional de escravos trazidos da costa africana era tão tentador que acabou se transformando no negócio mais lucrativo da Colônia. Portugueses, holandeses e, no final do período colonial, brasileiros disputaram o controle dessa área tão lucrativa. Portanto, o tráfico se tornou mais do que um meio de prover braços para a grande lavoura de exportação, mas uma potencial fonte de riqueza para quem vendia os escravos, tratados como coisa, produto. Devido às dificuldades encontradas em escravizar os índios, a partir de 1570 a Coroa portuguesa passou a incentivar a importação de africanos, tomando também medidas para tentar evitar a escravização desenfreada e o morticínio indígena. Porém, a transição da escravização indígena para a negra africana se deu de maneira diferente na América portuguesa, variando no tempo e no espaço. Ela acabou mais rapidamente no núcleo mais importante da empresa mercantil, destinada à exportação de produtos agrícolas em grande escala. E demorou mais para acabar nas regiões periféricas, como é o caso de São Paulo.

 

Problematizando

13) Observando os dias de hoje você acredita que ainda há escravidão em São Paulo ? Por quê?

 

O século XVII foi bastante agitado para o paulista. Além das expedições  e das bandeiras, um episódio bastante peculiar colaborou para a movimentação na vida política da vila. Esse episódio ficou conhecido como Aclamação de Amador Bueno.

Aclamação de Amador Bueno

Em 1640, terminou o período do chamado Domínio Espanhol (1580-1640), quando as coroas portuguesas e Espanholas estiveram unidas. Em 1641, os paulistas terminam que o novo governo de Portugal resolve proibir de vez a escravidão indígena. Além disso, temiam que os portugueses  proibissem o comercio que era feito com os colonos espanhóis do rio da Prata.

Então, fazendeiros e comerciantes paulistas criarão em São Paulo uma espécie de reino independente. E aclamará como rei Amador Bueno, um morador local. Amador, porém, não aceitou participar do movimento e recusou o titulo de rei. Dias depois, os paulistas acabaram com o reino independente e jurarão fidelidade ao rei de Portugal.

 

Problematizando

14) Porque você acha que Amador Bueno recusou-se ao titulo de rei? Explique.

Os acampamentos dos bandeirantes em suas viagens

Os bandeirantes andavam quase sempre descalços, vestidos com um colete feito de couro de anta e com um pequeno chapéu, também  de pele de  anta. Sua alimentação era feita a maneira indígena, sendo a mandioca o alimento básico, acompanhada de carne seca. Com farinha de milho, feijão e toucinho, faziam o virado à  paulista consumido frio. Quando faltava comida, ingeriam formigas, larvas, largados, sapos e cobra. Para cozinhar, montavam pequenas fogueiras a moda dos índios, usados três pedras colocadas no chão em forma de triângulo.

Problematização

15) Se você ficassem perdido no mata, você também comeria esses bichos ? Qual?

Antonio Raposo Tavares fez a travessia de São Paulo até Belém, no atual estado do Pará, usando os rios Tiete, Paraná, Paraguai, Madeira e Amazonas.

Fernão Dias Pais nasceu em 1608 e morreu em Minas Gerais no ano de 1681, passou sete anos nas matas das serras de Minas Gerais, abrindo caminho para a descoberta das minas de ouro. Juntou fortuna com o negócio de capturar e vender índios como escravos para os próprios colonos paulistas e para colonos de outras capitais. Depois, ganhou fama procurando ouro e pedras preciosas, as esmeraldas, nos sertões de Minas Gerais. No comando da expedição, por lá andou nos seus últimos anos de vida e ali morreu, sem encontrar as valiosas pedras verdes.

 

Manoel de Borba Gato, genro de Fernão Dias, foi um dos descobridores de ouro na região de Sabará, em Minas Gerais.

Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera descobriu as Minas de Goiás

Se, por um lado, a bravura dos bandeirantes e a grande contribuição que deram para a expansão do nosso território não podem ser esquecidas, temos de lembrar que a atuação deles foi cercada por muita violência e crueldade. É importante lembrar, por exemplo, que as bandeiras  tinham como um dos seus objetivos a captura de índios para trabalhar como escravos nas vilas e cidades que se formavam. Além disso, alguns donatários e governadores-gerais incumbiam os bandeirantes de trazer de volta os escravos fugitivos, indígenas ou negros, que se escondiam no  sertão. Os bandeirantes usavam de muita violência nessas ações. Eles também entraram em conflito com os jesuítas Muitas vezes, os bandeirantes invadiam e destruíam as missões, os aldeamentos fundados pelos padres para catequizar os indígenas. Além de catequizar, os jesuítas utilizavam a mão-de-obra indígena em diversas atividades realizadas nos aldeamentos. Como esses índios já estavam adaptados ao trabalho, os bandeirantes invadiam as missões para aprisioná-los e comercializá-los como escravos.

Problematização

16) Em sua opinião, quem foi mais prejudicado com a Fundação de São Paulo? Os índios, os jesuítas, os colonizadores ou os bandeirantes ?

17) Pensando no dia de hoje, se você fosse um bandeirante, você  também capturaria os índios para escravizá-los ? Por quê?

Tribos indígenas

18 ) Observe o mapa e localize quantas tribos indígenas ainda existem. Quais são?

19) O que aconteceu com os índios de São Paulo? Onde eles estão? Explique. 

Mapa da Época de 1747

Mapa de São Paulo do ano de 1554 até o dia de hoje

Problematização

20) O que mudou em São Paulo ?

21) Analisando o texto você prefere morar na São Paulo de Piratininga ou na São Paulo de agora? Por quê?

22) Imagine-se fazendo uma viagem desde a “São Paulo de Piratininga” até a “São Paulo” de hoje. Agora procure construir uma linha do tempo apontando as mudanças e permanências mais significativas, bem como as semelhanças e diferenças ocorridas durante esses anos.

 

 

 

Referências Bibliográficas

TEIXEIRA, Francisco M. P. História de São Paulo: 5º ano. São Paulo: Ática, 2008.

WEINSTOCK, Marcos. Revista de São Paulo: Prefeitura da Cidade de São Paulo: CTP. Impressão e Acabamento, 2010.

 

 

 

 

 

Desde que o bandeirante paulista Fernão Dias Pais se embrenhou com suas tropas por  volta de 1674, no sertões das serras da Mantiqueira e do Espinhaço à procura de ouro e esmeraldas, o interesse pela região cresceu muito. Outros bandeirantes paulistas também se aventuraram por aquela região. Com isso milhares de paulistas foram para Minas Gerais em busca de ouro e pedras preciosas.


5 Respostas to “Fundação da Cidade de São Paulo”

  1. nossa! eu nao sabia que os portuqueses naquela epoca eram tam malvados

  2. Gostei

  3. Isso é interessante

  4. Isso é muito interessante demais

  5. Eu achei muito interessante e muito bom.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: