Estação da Luz

 

Angela Roberta dos Anjos Martires,

Gislaine Ferreira dos Santos,

Isabela Laís de Abreu,

Michele dos Santos Gregorio,

Michelle Rodrigues da Silva e

Renata Fernanda Gondim Fonseca.

NOS CAMINHOS DA LUZ

Postal comemorativo da inauguração da Estação da Luz, 1903.

Foto cedida por aluna da UMC, 2010.

O Primórdios

O bairro da Luz é considerado um dos mais antigos da cidade de São Paulo, fato esse que está registrado em uma carta do padre José de Anchieta, datada de 1579. Em meados do século XVII e XVIII, o bairro da Luz era caracterizado por fazendas de gados, cujos fazendeiros eram de Bragança, Sorocaba e Atibaia. Após anos, transformaram o local em um centro comercial.

 O parque da Luz, criado inicialmente em 1790 com a proposta de ser um Jardim Botânico, e em 1825, após a reforma, é inaugurado como Jardim Público com objetivo de proporcionar um espaço de lazer à população.

Maquete da Cidade de São Paulo Colonial – arredores do terreno da Estação da Luz (Museu do Pateo do Colégio)

 

Jardim da Luz – S. ref.

 

Jardim da Luz – imagem atual

 

A partir de 1860 são subdivididas as áreas pertencentes ao Jardim Publico da Luz, favorecendo as construções do Colégio Prudente de Moraes, Liceu de Artes e Ofícios (mais tarde adaptado para abrigar a  Pinacoteca do Estado em 1905, porém, apenas em 1911 passou a funcionar o museu com a 1ª- Exposição Brasileira de Belas-Artes).

 

Pintura da Pinacoteca do Estado (s.d.) – Cristiane Carbone Pinacoteca do Estado – 2010 (Fotos cedidas por alunas da UMC)

 

Em 1867, é construída a primeira estrada de ferro, pela Companhia Inglesa “The São Paulo Railway”, juntamente com o antigo prédio da Estação da Luz.

    Mapa das Ferrovias de São Paulo – S. ref.

     

    A estrada de ferro fazia a linha entre Jundiaí, São Paulo e Santos e servia exclusivamente para  transporte de café. A estação era apenas para embarque e desembarque das cargas.

Área onde foi construída a estação da Luz, 1865.

    A construção da Estação da Luz, pela empresa São Paulo Railway, projetou o crescimento da cidade de São Paulo tendo o Barão de Mauá, homem renomado dentro e fora do Brasil, como intermediador de recursos financeiros para aceleração das obras, tal construção beneficiaria o crescimento econômico no país.

A primitiva estação de São Paulo, na época de sua abertura. Foto cedida por A. C. Belviso.

Problematizando

 
- Assista ao filme “Mauá – O Imperador e o Rei” e depois responda as questões propostas.
FICHA TÉCNICA

Gênero: Drama

Duração: 134 minutos

Lançamento: 1999

País: Brasil

Classificação etária: Livre

Direção: Sérgio Resende

Roteiro: Paulo Halm, Sérgio Rezende e Joaquim Vaz de Carvalho

Produção: Joaquim Vaz de Carvalho

Música: Cristóvão Bastos

Fotografia: Antônio Luiz Mendes

Figurino: Kika Lopes

Edição: Isabelle Rathery

ELENCO

Paulo Betti   (Irineu Evangelista De Souza / Visconde De Mauá)

Malu Mader   (May)

Othon Bastos   (Visconde De Feitosa)

Michael Byrne   (Mr. Carruthers)

Rodrigo Penna   (D. Pedro II)

Hugo Carvana   (Queiroz)

SINOPSE

O filme mostra a infância, o enriquecimento e a falência de Irineu Evangelista de Souza (1813-1889), o empreendedor gaúcho mais conhecido como barão de Mauá, considerado o primeiro grande empresário brasileiro, responsável por uma série de iniciativas modernizadoras para economia nacional, ao longo do século XlX.  Mauá foi um vanguardista em sua época, arrojado em sua luta pela industrialização do Brasil.

CURIOSIDADES

- Este é o 4º de 5 filmes em que o diretor Sérgio Rezende e o ator Paulo Betti trabalham juntos. Os demais foram Doida Demais (1989), Lamarca (1994), Guerra de Canudos (1997) e Zuzu Angel (2006).

- Em 1995, Sérgio Rezende foi acusado de plágio por Jorge Caldeira, autor do livro Mauá, Empresário do Império.

- Qual a colaboração do Jardim Público da Luz para a construção da estrada de ferro e da primitiva Estação da Luz?

  1. Observando as duas primeiras imagens, da maquete e da planta da cidade de São Paulo, relacione as mudanças ocorridas na região da Luz.
  2. Observa as imagens do terreno concedido para abrigar o Jardim Público da Luz e a fotografia da primeira estação e caracterize a região da Luz da perspectiva Rural e Urbana e socialize com o grupo.
  3. O filme “Mauá – o Imperador e o Rei”, mostra o contexto da época do Império e o momento da inauguração da estrada de ferro. Qual a importância política, econômica e social da estrada de ferro para o país?
  4. Quem foi o grande incentivador da implantação da estrada de ferro?

 

A nova estação da Luz

 

Pintura da Primitiva Estação da Luz, s. ref.

Primitiva Estação da Luz, 1897, s.ref.

Entre 1895 e 1900. A Estação da Luz foi projetada pelo arquiteto inglês Charles Henry Driver em estilo Neoclássico.

Projeto da Estação da Luz.

 

Desenho da Estação da Luz. S. ref.

Pintura da nova estação da Luz, 1903.

 

Primeiro bilhete da Estação da Luz, 1901.

 

A nova Estação da Luz foi inaugurada no dia 1 de março de 1901, para embarque e desembarque de passageiros, e a partir desse momento, tornou-se um símbolo do ciclo de café e um referencial da cidade de São Paulo.

Nessa época, o Jardim da Luz recebeu energia elétrica e tornou-se ponto de encontro dos passageiros que vinham do interior ou de santos e desembarcavam na Estação da Luz e também local de passeio das famílias.

 

 

Problematizando

Observe as imagens abaixo:

Estação da Luz e arredores, 1903.

 

Quais as principais mudanças que ocorreram entre os arredores da Estação da Luz em 1903 e 2010?

  1. Quando foi inaugurada a nova estação, qual a sua finalidade?
  2. Identifique as principais modificações que ocorreram da primeira estação para a nova estação.

 

O Incêndio

 
Incêndio no saguão de entrada, 1946.

Saguão de entrada, 2010.

 
 

Interior da Estação da Luz, década de 40.

 

Ocorreu em meados nos anos 40 um violento incêndio na Estação da Luz, que destruiu quase todo o conjunto, salvando-se apenas a ala oeste. A Comissão que dirigiu os trabalhos de reconstrução decidiu pela ampliação e modernização do prédio, incluindo a construção do terceiro pavimento, em toda a extensão destruída pelo incêndio.

As obras de reconstrução tiveram andamento até 1951, que originou novos recursos, tais como um pavimento e mais uma plataforma central para ser utilizado por trens metropolitanos.

 

Problematizando

  1. Observe atentamente as imagens acima (Estação da Luz na época do incêndio e atual) e enumere quais as semelhanças e diferenças entre elas.

 

A População e Transporte


Mapa da população, 1872.

Mapa da população, 1882-1914.

Mapa da população, 1930-1949.

Mapa da população, 1992-2002.
 
 
 
Problematizando
  1. Após observar os mapas, quais as transformações que ocorreram com a população de São Paulo?

 

Arredores da Estação da Luz, s. ref.

 

   
 

 

Problematizando

 

  1. Descreva as imagens, procurando apresentar as semelhanças e diferenças entre as fotografias antigas e o que observamos hoje em dia, como roupas, meio de transporte, multidão etc.
  2. Observe as fotografias dos trens abaixo e comente.

   

 

 

 

Trens em três momentos distintos.

 

Arredores da Estação da Luz em três momentos.

O Correio Paulistano, 7/11/1946.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: