O Caipira

Mirian Lobato de oliveira,

Samanta Moraes de Oliveira,

Efigênia Cardoso da Silva,

Sueli Aparecida de Paula Pedroso,

Isabel Brandao dos santos e

Angela Aparecida de Sousa.

Caipira- uma figura estigmatizada

capa Jeca Tatuzinho

O Jeca Tatu é um dos personagens mais populares da cultura brasileira. Ao publicar, em 1914, no jornal O Estado de São Paulo, o artigo intitulado Velha Praga, o escritor Monteiro Lobato dá origem ao personagem Jeca Tatu. No artigo Urupês, publicado em seguida no mesmo jornal, o escritor detalha as características do personagem Jeca Tatu, como alguém de personalidade rude, desagradável; com um modo de vida apático diante as facilidades proporcionadas por mantimentos de fácil cultivo, como o milho, a cana e a mandioca.

No livro Urupês, lançado em 1918, o escritor Monteiro Lobato, associa a vida do homem do campo aos cogumelos que vicejam nas madeiras apodrecidas. Monteiro Lobato atribuía o seu insucesso na agricultura à baixa produtividade dos caboclos para os trabalhos do campo, fato este que refletiu na sua análise preconceituosa do modo de vida do sertanejo.

Em 1918 surge a Liga Pró-saneamento, uma vez que o Brasil é tratado como um país com problemas de saneamento, assim Monteiro Lobato insere o Jeca nesse contexto, colocando a preguiça aparente do caipira e a sua incapacidade de fazer parte da economia, como um fato oriundo de doença.

Em 1924 é lançado o almanaque do jeca Tatuzinho, ganhando repercussão na divulgação do Biotônico Fontora para a cura do amarelão. O medicamento tinha o propósito de transformar em saudável o caboclo pálido e abatido. Monteiro Lobato equivocou-se novamente, pois esse medicamento tempos depois teve a venda proibida por conter etanol (álcool etílico) em sua composição.

Fig 5 Almanaque Biotônico Fontoura

O escritor retrata-se com os camponeses, mudando o discurso, considerando-os como indivíduos vulneráveis as mais diversas doenças, devido à falta de infra-estrutura, e entregues à ignorância. Em outro momento, Monteiro Lobato tem uma visão mais politizada da imagem do personagem Jeca Tatu, entendendo que os motivos da situação do Jeca estão vinculados ao latifúndio e a submissão do homem do campo aos coronéis, situação essa trabalhada na obra Zé Brasil de (1947). Contudo, a imagem inicial do Jeca Tatu, difundida pelo autor, entendendo o caipira como um homem do mato, matuto e preguiçoso prevalece no imaginário popular.

 

Mazzaropi e o Jeca Tatu

Amacio Mazzaropi Cineasta ator e empresário

Amacio Mazzaropi (1912/1981) interpretou o personagem Jeca Tatu, em um filme de 1959, fazendo uma releitura do tipo caracterizado por Monteiro Lobato.

Segundo a escritora e professora de literatura Eunice Braido, no documentário sobre Mazzaropi para ESPEB – ESPM 2008/1 – 1 semestre, o artista Mazzaropi apropriou-se do lado cômico, do lado lúdico, do lado irreverente do personagem caipira para fazer humor.

A figura do homem da roça estereotipada como caipira ficou ainda mais acentuada e fortalecida pela população com a vinculação dos filmes de Mazzaropi.

Problematizando

1) Podemos afirmar ainda hoje que os homens do campo são caipiras no sentido literário?

2) É comum encontrar homens semelhantes a figura do Jeca Tatu no setor rural ou ele é um personagem existente apenas no imaginário popular?

3) Os homens do campo são preguiçosos e ignorantes ou trabalhadores rurais sem grandes oportunidades na educação, nos cuidados com a saúde e na participação política efetiva?

4) Como você define nos dias atuais o homem do setor rural?

A música caipira

tonitinoco3

Tonico e Tinoco são autênticos representantes da música caipira de raiz. A dupla “Coração do Brasil”, como é conhecida segue os passos da Turma Caipira de Cornélio Pires, pioneiros em 1929 na gravação da moda de viola, como também são seguidores da dupla Mandy e Sorocabinha.

A dupla dá continuidade e identidade cultural à música caipira de raiz.

Mas qual a diferença entre a música sertaneja e a música caipira?

Zuza Homem de Mello, notável historiador da Música Popular Brasileira, ao ser questionado por José Hamilton Ribeiro, no Especial “A Música da Roça” (no Globo Rural, 2003), assim respondeu:

“A música caipira é uma parte da música sertaneja localizada em torno do Estado de São Paulo. A música sertaneja é a música do sertão brasileiro, de todo sertão brasileiro.”

Problematizando

1) A música caipira ainda está em evidência atualmente ou tende a desaparecer?

2) Quem são os atuais representantes que você conhece da música caipira e da música sertaneja?

3) Podemos afirmar que a música sertaneja universitária e a música Country são músicas de raiz, tipicamente sertaneja ou caipira?

vídeo: Documentário Mazzaropi

Mazzaropi – Um Caipira Pé No Chão

Referências Bibliográficas:

http://www.fflch.usp.br/dh/lemad/?p=1205, acesso em 21 de novembro 2010, 18:51

http://www.redetec.org.br/inventabrasil/biofont.htm, acesso em 21de novembro 2010, 21:39.

http://www.vemprabrotas.com.br/pcastro5/Tonico%20e%20Tinoco%20e%20a%20Musica%20do%, acesso em 21 de novembro 2010, 22:00.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: